sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Puertassauro

O Puertassauro reuili cujo nome é em homenagem a seus descobridores Pablo Puerta e Santiago Reuil. Foi um grande dinossauro herbívoro e quadrúpede, que viveu há aproximadamente 70 milhões de anos atrás, no  final do período Cretáceo (Cretáceo Superior), pouco antes da extinção dos dinossauros que ocorreu há 65 milhões de anos atrás.
Segundo algumas descobertas, acredita-se que por seu grande tamanho de 40 metros de comprimento e 20 metros de altura (quase do tamanho de um Argentinossauro), sua era era de maior diversidade e tamanho, o que demonstra o porquê desse enorme animal sobreviver até o fim da era.
Ao julgar pelo seu enorme tamanho, que rivalizaria com o de outros saurópodes como Argentinossauro, Ultrassauro, Seismossauro, Amphicoelias e Sauroposeidon, assim como seu peso de 100 toneladas, e a forma de seu esqueleto, o Puertassauro provavelmente foi um dos dinossauros mais poderosos, rivalizando com outros enormes saurópodes até mesmo em força, pois para suportar seu grande peso, ele teria que ser forte, mas em compensação, meio lento como o resto.
O paleontólogo Fernando Novas chefiou a expedição que encontrou os restos fósseis, financiada pela americana National Geographic Society e pelas organizações científicas do governo argentino Conicet e Agência Nacional de Promoção Científica e fazer os estudos comparativos que levaram a determinar que se tratava de uma espécie desconhecida, e levou 5 anos.
Foram encontrados 4 vértebras de pescoço, do dorso e da cauda, sendo estes os restos mais austrais descobertos em toda a América. A descoberta ocorreu em 2001 no monte Los Hornos, perto do lago Viedma, em La Leona, na província de Santa Cruz nos Andes patagônios, 2800 km ao sul de Buenos Aires. 
A vértebra cervical encontrada mede 1,20 metro de comprimento por 1,40 de largura e uma primeira vértebra das costas tem 1,70 metros por 1 metro. A princípio, as duas superam em tamanho as peças similiares do Argentinossauro, sendo considerado um dos maiores animais terrestres que já existiram.

Nome: Puertassauro
Nome Científico: Puertasaurus reuili.
Tamanho: 40 metros de comprimento e 20 metros de altura.
Peso: Cerca de 100 toneladas.
Local: América do Sul
Época: Período Cretáceo Superior.
Alimentação: Herbívora.
Família: Titanosauridae

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Alectrossauro

O Alectrossauro foi um dinossauro que viveu no final do período Cretácio, e pertencia à família dos Tiranossauros. Viveu há aproximadamente 70 a 75 milhões de anos, no Campaniano e Mastrichtiano, onde hoje é a Ásia Central. O Alectrossauro era um carnívoro bípede com uma forma de corpo muito parecida com a de seu parente mais próximo, o Tiranossauro, apesar de ser muito mais pequeno, medindo 6 metros de comprimento e 3 metros de altura, pesando aproximadamente 500 kg. O nome "Alectrossauro", vem do grego "lagarto solitário". No momento de sua descoberta, era diferente de qualquer outro carnívoro asiático conhecido.
Sua primeira descoberta foi de um membro traseiro, descoberto na Formação Iren Dabasu, na região da Mongólia. A idade geológica desta formação não é clara. Estima-se que data-se de há aproximadamente 83 a 74 milhões de anos, no Cretáceo Superior.
Alguns paleontólogos consideram o Alectrossauros como uma espécie de Albertossauro (espécie que viveu na América do Norte, no final do período Cretáceo).

Dados do Dinossauro: 
Nome: Alectrossauro 
Nome Científico: Alectrosaurus olseni 
Época: Cretáceo, entre 90 à 70 milhões de anos atrás 
Local onde viveu: Ásia, China e Mongólia 
Peso: até 1,5 tonelada 
Tamanho: de 5 a 6 m de comprimento e 4 m de altura 
Alimentação: Carnívora

sábado, 10 de novembro de 2012

Concavenator

O Concavenator foi uma espécie de Terópode bípede que viveu há 130 milhões de anos atrás no início do período Cretáceo (Cretáceo Superior.
Ele media cerca de 4-6 metros de comprimento e tinha características únicas.
Ele possuía duas vértebras extremamente altas na frente dos quadris que formam uma crista de altura, mas estreita e pontiaguda (possivelmente apoiar uma corcova) nas costas do dinossauro. A função delas não são totalmente confirmadas, porém as especulações são que podiam servir como "monitores visuais" ou reguladores térmicos.
No membro anterior foi encontrados estruturas homólogas, vestígios de penas.
Reino: Animalia.
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Família: Carcharodontosauridae
Gênero: Concavenator
Espécie: Concavenator Corvatus