domingo, 10 de fevereiro de 2013

Evento - Dino Batalha - Organizando as lutas (Parte 2)

Bom, parece que por votos de poucos, a escolha será uma eliminatória, e avisando que para tornar-se só 10 participantes, dos menos votados pensei em botar só 8 mas tenho certeza que muitos não serão eliminados e continuará com mais de 10. Só consegui estender até 9 opções (contando um extra), porque o resto chega a pelo menos 3 votos, e já está bem perto dos mais votados (os dinos votados foram de números pequenos, fora o T-Rex que ultrapassou todo mundo em uma diferença considerável), então dos menos votados são só de 1 a 2 e deram 8 (fora o extra), então aviso isso porque se sobrarem alguns, eu teria que fazer mais merda de eliminação, e enrolaria, então vou estender mesmo o limite e se der impar, eliminarei eu mesmo.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Evento - Dino Batalha - Organizando as lutas

Antes de começar realmente a postagem, queria me desculpar por ficar ausente durante bastante tempo, mas é porque ando ocupado, porém voltei e já vou avisando que não sei se conseguirei continuar o evento com exito, mas indo direto...

Já começou dando errado, a enquete não alcançou minhas expectativas mas não é o bastante pra desistir ainda.Os mais 10 mais votados foram: Tiranossauro Rex, Espinossauro, Carnotauro, Velociraptor, Triceratops, Braquiossauro, Anquilossauro, Parassaurolofo, Alossauro, Ceratossauro, Carcharodontossauro, Dilofossauro, Seismossauro, Barionix, Utahraptor, Suchomimus, Seismossauro, Barionix.

Bom, como eram pra ser pelo menos 10 e os votos restantes eram equilibrados, tive que citar todos votados e acabou ultrapassando. Agora vou pensar se abro uma enquete perguntando se é melhor estender o número de participantes ou fazer votos de eliminação, se bem que a 1º opção é melhor, mas alguns provavelmente não estarão satisfeitos e pensando bem, uma enquete parece ser melhor, mas podem comentar aqui, se quiserem.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Uberabatitan

Uberabatitan ribeiroi cujo nome vem de Uberaba, em Minas Gerais, local onde foi encontrado, e o nome do pesquisador que o descobriu, o paleontólogo e geólogo Luiz Carlos Borges Ribeiro. Apesar do fato de que uma reconstituição facial do dinossauro seja impossível, pelo desconhecimento de ossos do crânio, os fosséis já são considerados um marco para a paleontologia brasileira. Foi um grande dinossauro saurópode herbívoro e quadrúpede do Período Cretáceo Superior (final do Cretáceo) considerado um dos maiores entre os saurópodes brasileiros já encontrados.
Ismar de Souza carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Leonardo Salgado da Universidade Nacional do Comahue, na Patagônia Argentina, foram responsáveis por descrever a espécie e publicar na revista "Palaeontology" uma matéria sobre o animal. Apesar disso fazem um certo segredo em relação à descoberta e já existem comentários de que estão produzindo uma réplica para ser mostrada ao público.
Os fósseis encontrados em Minas Gerais, na cidade de Uberaba não poderiam ser nomeados de outra forma a não ser como uma homenagem à cidade brasileira. O segundo nome da espécie é uma homenagem ao diretor do museu Llewellyn Ivor Price que fica em uberaba e apóia as pesquisas, como o diretor é Liz Carlos Jorge Ribeiro, usaram seu sobrenome, daí o nome "ribeiroi".
O mais interessante no Uberabatitan é que era um Titanosauridae, pelo seu grande peso, enormes dinossauros quadrúpedes, herbívoros que tinham nas costas pequenos caroços ósseos, calombos chamados de Osteodermes, provavelmente um meio de defesa, pois no período cretáceo carnívoros de grande porte eram abundantes, embora na América do Sul não fossem tantos quanto na do Norte e outros continentes.
O espécime é baseado em várias partes do corpo fossilizadas, contando com vértebras cervicais, dorsais, caudais e costelas e até partes do quadril. Em 1999 outros paleontólogos brasileiros descobriram duas vértebras e começaram uma descrição formal do animal, com estimativas de 15 a 20 metros de comprimento, o que seria o maior titanossauro brasileiro. Porém ao apresentar à uma revista especializada da Alemanha para a publicação, revisores do artigo decidiram negar a publicação julgando que as duas vértebras seriam insufucientes para uma descrição precisa e o nome Uberabasaurus que seria dado ao animal foi rejeitado. Resultado foi que as vértebras estão até hoje no museu exposta em local privilegiado, porém sem descrição. Ao publicarem o artigo sobre o Uberabatitan os paleontólogos começam a acreditar que as vértebras pertençam à mesma espécie ou a um parente muito próximo. 

O U. ribeiroi  tinha entre 15 e 20 metros de comprimento, cerca de 3,5 metros de altura e tinha um peso estimado entre 12 e 16 toneladas, o que mostra que era bem gordo e pesado para seu tamanho, e teria que ter grande força muscular para aguentar, e se defender de predadores.
 É bastante semelhante ao Baurutitan e ao Trigonosaurus, encontrados em formações rochosas semelhantes. Fósseis de três indivíduos dessa espécie foram descobertos em 2004, durante a realização das obras da duplicação da BR-050, rodovia que liga Brasília (DF) a Santos (SP), no trecho que passa por Uberaba. O trabalho de escavação dos fósseis foi concluído em 2006. Os técnicos escavaram 300 toneladas de rochas que datavam do período Cretáceo e Terciário, manualmente, para a retirada do material.

Fontes: Blog do Ikesaurus - http://www.ikessauro.com/ ; Wikipédia

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Puertassauro

O Puertassauro reuili cujo nome é em homenagem a seus descobridores Pablo Puerta e Santiago Reuil. Foi um grande dinossauro herbívoro e quadrúpede, que viveu há aproximadamente 70 milhões de anos atrás, no  final do período Cretáceo (Cretáceo Superior), pouco antes da extinção dos dinossauros que ocorreu há 65 milhões de anos atrás.
Segundo algumas descobertas, acredita-se que por seu grande tamanho de 40 metros de comprimento e 20 metros de altura (quase do tamanho de um Argentinossauro), sua era era de maior diversidade e tamanho, o que demonstra o porquê desse enorme animal sobreviver até o fim da era.
Ao julgar pelo seu enorme tamanho, que rivalizaria com o de outros saurópodes como Argentinossauro, Ultrassauro, Seismossauro, Amphicoelias e Sauroposeidon, assim como seu peso de 100 toneladas, e a forma de seu esqueleto, o Puertassauro provavelmente foi um dos dinossauros mais poderosos, rivalizando com outros enormes saurópodes até mesmo em força, pois para suportar seu grande peso, ele teria que ser forte, mas em compensação, meio lento como o resto.
O paleontólogo Fernando Novas chefiou a expedição que encontrou os restos fósseis, financiada pela americana National Geographic Society e pelas organizações científicas do governo argentino Conicet e Agência Nacional de Promoção Científica e fazer os estudos comparativos que levaram a determinar que se tratava de uma espécie desconhecida, e levou 5 anos.
Foram encontrados 4 vértebras de pescoço, do dorso e da cauda, sendo estes os restos mais austrais descobertos em toda a América. A descoberta ocorreu em 2001 no monte Los Hornos, perto do lago Viedma, em La Leona, na província de Santa Cruz nos Andes patagônios, 2800 km ao sul de Buenos Aires. 
A vértebra cervical encontrada mede 1,20 metro de comprimento por 1,40 de largura e uma primeira vértebra das costas tem 1,70 metros por 1 metro. A princípio, as duas superam em tamanho as peças similiares do Argentinossauro, sendo considerado um dos maiores animais terrestres que já existiram.

Nome: Puertassauro
Nome Científico: Puertasaurus reuili.
Tamanho: 40 metros de comprimento e 20 metros de altura.
Peso: Cerca de 100 toneladas.
Local: América do Sul
Época: Período Cretáceo Superior.
Alimentação: Herbívora.
Família: Titanosauridae

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Alectrossauro

O Alectrossauro foi um dinossauro que viveu no final do período Cretácio, e pertencia à família dos Tiranossauros. Viveu há aproximadamente 70 a 75 milhões de anos, no Campaniano e Mastrichtiano, onde hoje é a Ásia Central. O Alectrossauro era um carnívoro bípede com uma forma de corpo muito parecida com a de seu parente mais próximo, o Tiranossauro, apesar de ser muito mais pequeno, medindo 6 metros de comprimento e 3 metros de altura, pesando aproximadamente 500 kg. O nome "Alectrossauro", vem do grego "lagarto solitário". No momento de sua descoberta, era diferente de qualquer outro carnívoro asiático conhecido.
Sua primeira descoberta foi de um membro traseiro, descoberto na Formação Iren Dabasu, na região da Mongólia. A idade geológica desta formação não é clara. Estima-se que data-se de há aproximadamente 83 a 74 milhões de anos, no Cretáceo Superior.
Alguns paleontólogos consideram o Alectrossauros como uma espécie de Albertossauro (espécie que viveu na América do Norte, no final do período Cretáceo).

Dados do Dinossauro: 
Nome: Alectrossauro 
Nome Científico: Alectrosaurus olseni 
Época: Cretáceo, entre 90 à 70 milhões de anos atrás 
Local onde viveu: Ásia, China e Mongólia 
Peso: até 1,5 tonelada 
Tamanho: de 5 a 6 m de comprimento e 4 m de altura 
Alimentação: Carnívora

sábado, 10 de novembro de 2012

Concavenator

O Concavenator foi uma espécie de Terópode bípede que viveu há 130 milhões de anos atrás no início do período Cretáceo (Cretáceo Superior.
Ele media cerca de 4-6 metros de comprimento e tinha características únicas.
Ele possuía duas vértebras extremamente altas na frente dos quadris que formam uma crista de altura, mas estreita e pontiaguda (possivelmente apoiar uma corcova) nas costas do dinossauro. A função delas não são totalmente confirmadas, porém as especulações são que podiam servir como "monitores visuais" ou reguladores térmicos.
No membro anterior foi encontrados estruturas homólogas, vestígios de penas.
Reino: Animalia.
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Superordem: Dinosauria
Ordem: Saurischia
Subordem: Theropoda
Família: Carcharodontosauridae
Gênero: Concavenator
Espécie: Concavenator Corvatus