terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Uberabatitan

Uberabatitan ribeiroi cujo nome vem de Uberaba, em Minas Gerais, local onde foi encontrado, e o nome do pesquisador que o descobriu, o paleontólogo e geólogo Luiz Carlos Borges Ribeiro. Apesar do fato de que uma reconstituição facial do dinossauro seja impossível, pelo desconhecimento de ossos do crânio, os fosséis já são considerados um marco para a paleontologia brasileira. Foi um grande dinossauro saurópode herbívoro e quadrúpede do Período Cretáceo Superior (final do Cretáceo) considerado um dos maiores entre os saurópodes brasileiros já encontrados.
Ismar de Souza carvalho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Leonardo Salgado da Universidade Nacional do Comahue, na Patagônia Argentina, foram responsáveis por descrever a espécie e publicar na revista "Palaeontology" uma matéria sobre o animal. Apesar disso fazem um certo segredo em relação à descoberta e já existem comentários de que estão produzindo uma réplica para ser mostrada ao público.
Os fósseis encontrados em Minas Gerais, na cidade de Uberaba não poderiam ser nomeados de outra forma a não ser como uma homenagem à cidade brasileira. O segundo nome da espécie é uma homenagem ao diretor do museu Llewellyn Ivor Price que fica em uberaba e apóia as pesquisas, como o diretor é Liz Carlos Jorge Ribeiro, usaram seu sobrenome, daí o nome "ribeiroi".
O mais interessante no Uberabatitan é que era um Titanosauridae, pelo seu grande peso, enormes dinossauros quadrúpedes, herbívoros que tinham nas costas pequenos caroços ósseos, calombos chamados de Osteodermes, provavelmente um meio de defesa, pois no período cretáceo carnívoros de grande porte eram abundantes, embora na América do Sul não fossem tantos quanto na do Norte e outros continentes.
O espécime é baseado em várias partes do corpo fossilizadas, contando com vértebras cervicais, dorsais, caudais e costelas e até partes do quadril. Em 1999 outros paleontólogos brasileiros descobriram duas vértebras e começaram uma descrição formal do animal, com estimativas de 15 a 20 metros de comprimento, o que seria o maior titanossauro brasileiro. Porém ao apresentar à uma revista especializada da Alemanha para a publicação, revisores do artigo decidiram negar a publicação julgando que as duas vértebras seriam insufucientes para uma descrição precisa e o nome Uberabasaurus que seria dado ao animal foi rejeitado. Resultado foi que as vértebras estão até hoje no museu exposta em local privilegiado, porém sem descrição. Ao publicarem o artigo sobre o Uberabatitan os paleontólogos começam a acreditar que as vértebras pertençam à mesma espécie ou a um parente muito próximo. 

O U. ribeiroi  tinha entre 15 e 20 metros de comprimento, cerca de 3,5 metros de altura e tinha um peso estimado entre 12 e 16 toneladas, o que mostra que era bem gordo e pesado para seu tamanho, e teria que ter grande força muscular para aguentar, e se defender de predadores.
 É bastante semelhante ao Baurutitan e ao Trigonosaurus, encontrados em formações rochosas semelhantes. Fósseis de três indivíduos dessa espécie foram descobertos em 2004, durante a realização das obras da duplicação da BR-050, rodovia que liga Brasília (DF) a Santos (SP), no trecho que passa por Uberaba. O trabalho de escavação dos fósseis foi concluído em 2006. Os técnicos escavaram 300 toneladas de rochas que datavam do período Cretáceo e Terciário, manualmente, para a retirada do material.

Fontes: Blog do Ikesaurus - http://www.ikessauro.com/ ; Wikipédia

Um comentário:

  1. fala serio,só 3,5 d altura ele media entre 6 aquase 9 metros de altura

    ResponderExcluir