segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Triceratops










O Triceratops, cujo nome significa "Cara com 3 chifres". O Triceratops recebeu esse nome por causa de seus enormes chifres que ficavam bem na sua cabeça. Esses chifres tinham 1,80 de altura e 30 cm de largura, mas um deles era menor com 30 cm de altura e 19 cm de largura e eram afiados o suficiente para perfurar até uma parede de uma casa de luxo ou qualquer outra casa. O Triceratops era muito poderoso sendo capaz até de matar o rei dos dinossauros, o Tiranossauro Rex. O Triceratops tinha uma espécie de escudo ósseo bem resistente que ficava em torno de seu pescoço para protegelo de predadores sendo que o pescoço do Triceratops era muito frágil. Mas esse escudo não só protegia o pescoço como protegia seu rosto. Mas o resto do corpo ficava desprotegido. Mas para proteger as outras partes ele tinha que ficar girando em torno de si para evitar que algum terópode morder suas costas. O Triceratops não só tinha armas de defesa com também tinha armas de ataque. Essas armas são os chifres. Os chifres eram grandes e afiados que podem estraçalhar até uma árvore. Com a força de 6 elefantes e os chifres poderosos que o Triceratops tinha, uma batida pode derrubar e quebrar até caminhão. Os chifres do Triceratops não só servia de ataque como também servia como defesa. Caso um carnívoro ataca um Triceratops, caso ele for morder o pescoço, o Triceratops podia virar seu crânio e a mordida pegaria nos chifres, quabrando os dentes de seu atacante. Aí a mandibúla ficaria presa aos chifres aí o Triceratops podia jogar ele no chão fazendo com que ele quebre a perna com a queda aí o Triceratops chifra a barriga 2 vezes e o mata. O Triceratops não só tinha vantagens numa luta como também tinha dsvantagens. Os olhos do Triceratops ficavam nas laterais da cabeça para ber a aproximação de predadores por perto querendo atacar. Mas a desvantagem nisso é que ele não podia ver a frente. Para isso ele tinha que movimentar sua cabeça para a direita e a esquerda. Mas o problema nisso é que seu pescoço ia ficar exposto, então o predador morderia o pescoço e o mataria. O motivo do Triceratops ter olhos assim é por causa dos chifres que atrapalhava ficando acima deles. Cubra suas 2 mãos na cara mostrando apenas as laterais do rosto. Quando vcê fizer isso verá que a sua frente você não enxergara mas você verá as laterais perfeitamente. Para ver a frente você tem que dizer NÃO com a cabeça bem lentamente. É assim que o Triceratops fazia para ver o que estava em sua frente. Eu sei que é horrível enxergar desse jeito. Os chifres do Triceratops não só ajudava a se livrar dos problemas mas como também le dava problemas. O escudo que o Triceratops possuía em volta do pescoço não só era usado com defesa mas como também para exibição. Os machos tinham escudos coloridos para atrair a fêmea. Mas caso a fêmea tenha dúvidas a quem escolher para acasalar ou então 2 machos querem ficar com a mesma fêmea, os machos tem que lutar e o vencedor ficaria com quem ele quer ficar. E se os chifres dos Triceratops era usados para brigas de uns contra os outros então eles usariam contra os predadores. É assim que se diferencia o macho da fêmea. Pela cor dos escudos mas como podemos diferenciar pelo esqueleto já que o esqueleto é inteirinho branco? Não sabe? Nem eu, kkkkkk. O Triceratops era um banquete para os Tiranossauros. O Triceratops corria numa velocidade a cerca de 24 à 35 quilometros pro hora. Seu bico era feito de queratina, o mesmo material das unhas humanas. Esse bico era poderoso capaz de arrancar vários galhos das árvores médias cheios de folhas e os trituar com os 800 dentes pontiagudos que possuía bem no fundo da boca perto da gasganta. O mais antigo fóssil encontrado deste dinossauro foi como quase sempre acontecia, descrito incorretamente, também pelo famoso paleontólogo Othniel Charles Marsh. Na primavera de 1887, foi encontrado próximo à cidade de Denver, Colorado, um fóssil composto de ossos do crânio, amis exatamente, a parte acima dos olhos com os chifres. Marsh nomeou o animal de Bison alticornis, pois imaginou que se tratava de um bisão do período Plioceno.


No ano seguinte O.C.M. viu um estudo sobre os dinossauros com chifres, chamados de Ceratops, porém continuou acreditando ue o fóssil encontrado em 1887 pertencia a um mamífeo do Plioceno.


Em 1888, John Bell Hatcher coletou outro espécime na Formação Lance do Wyoming, a qual foi descrita como outra espécie de Ceratops.


Algum tempo depois O.C. Marsh mudou a ideia a respeito e deu o nome Triceratops, provisoriamente, ao espécime de Hatcher, também mudando a visão sobre o fóssil anterior, passou a acreditar que o seu bisão era sim um dinossauro com chifres, que mais tarde seria também identificado como um "cabeça com três chifres". Graças à espressura e resitência do crânio deste ceratópídeo, muitos esspécimes foram bem preservados, permitindo o estudo de variações entre as espécies e também as idades.


Vários esqueletos parciais e crânios foram descobertos nos Estados Unidos, em Dakota do Norte e Montana, além do Wyoming também no Canadá.


O primeiro espécime foi a receber o nome Triceratops foi catalogado como T. horridus, que provém do grego, Tri = Três + Cera = Chifres + Tops = Cara/Rosto/Face, além do segundo nome que determina a espécie propriamente, horridus que significa "Enrugado", devido às rugas do osso encontrado, já que muitos fósseis diferentes padrões de textura dependendo da idade, sexo do animal e do processo de fossilização.


Com o tempo, novos fósseis foram sendo descobertos, novas espécies nomeadas e tentas foram as variedades que os palentólogos decidiram criar dois grupos para agrupá-las.




Grupo 1


Composto pelas espécies T. horridus, T. prorsus, e T. brevicornus.




Grupo 2


Composto pelas espécies T. elatus e T. calicornis.




As duas espécies, T. serratus e T. flabellatus, ficaram de fora dos grupos. Em 1993, Marsh publicou outro estudo sobre os herbívoros de chifre em que os dois grupos e algumas espécies que ficaram de fora permaneciam com a classificação inalterada, mas criou um terceiro grupo composto de T. obtusus eT. hatcheri, que foram caracterizados por ter pequenos chifres nasais.


Hojse acredita-se que o T. horridus, T prorsus e T. brevicornus foram de linhagem que tinha crânios maiores e chifers nasais menores. Enquanto isso, T. elatus e T. calicornis foram definidas como tendo os grandes chifres sobre os olhos, um pequeno chifre em cima do nariz, porém um pouco maior que outras espécies.


C. M. Sternberg sugeriu que T. euryceplhalus era mais ligado a segunda e terceira linhagem, de que eram da linhagem de T. horridus, proposta aceita e segunda até novos estudos na década de 1980 e 1990.


Novos estudos contribuem para a idéia de que crânios com pequenas diferenças poderiam representar variações de uma ou duas espécies apenas, como no estudo publicado por Wellnhofer e Ostrom em 1886, afirmando que somente T. horridus era espécie válida, portanto todos os fósseis encontrados deveriam ser variações da mesma espécie.


Utilizando as antigas linhagens propostas por Lull e Sternberg, Lehman afirmou que as diferenças entre os crânios pode ser resultado de faixas etárias e de sexos diferentes.


Lahman diz também, que a linhagem de T. horridus, T. prorsus e T. brevicornus seria composta de fêmeas, já linhagem de T. calicornis e T. elatus, por sua vez seriam os machos, enquanto a linhagem composta por T. hatcheri e T. obustus seria machos muito velhos e doentes. Deduziram a partir do pressuposto de que os machos teriam chifres maiores e mais eretos, além de crânios maiores, as fêmeas por sua vez, teriam crânios menores e chifres mais curtos e abaixados.


Catherine Forster contradisse esta teoria e reestudou com mais precisão os restos de Triceratops, concluindo que existem somente duas espécies diferentes, T. horridus e T. prorsus e T. hatcheri é um gênero totalemnte diferente do Ceratopsiano, sendo renomeado para Nedoceratops. Segundo Forster, a maioria das espécies é a mesma T. horridus, e T. brevicornus é sinônimo de T. prorsus, dando a entender que as linhagens e grupos criados anteriormente seriam as duas espécies diferentes e cada qual com a sua variação. Além disto, poderíamos teorizar que seriam espécimes diferentes, com características distintas devido ao dimorfismo sexual.


Hoje a comunidade científica aceita somente duas epsécies como válidas T. horridus e T. prorsus, as quais são calssificadas de seguinte forma:


Ornithischia>Genausaria>Cerapoda>Marginocephalia>Ceratopia>Neoceratopia>Ceratopidae>Charmosauridnae


No entanto, existem várias espécies duvidiosas, listadas abaixo:




Espécies duvidiosas, nomeadas a partir de fósseis muito ruins e fragmentados, o que impede de ter uma visão clara do animal.




T. albertensis


T. alticornis


T. eurycephalus


T. galeus


T. ingens


T. maximus


T. sulcatus




Outros espécimes foram renomeados para gêneros diferentes ou espécimes já existentes, confiram abaixo:




T. brevicornus > renomeado para T. prorsus )


T. calicurnus > renomeado para T. horridus )


T. elatus > renomeado para T. horridus )


T. flabellatus > renomeado para T. horridus )


T. hatcheri > renomeado para Diceratus hatcheri )


T. mortuarius > nemen dubium > originamente Polyonax = Polyyonax mortuarius )


T. obtusus > renomeado para T. horridus )


T. serratus > renomeado para T. horridus )


T. sylvertris > nomen dubium, originalmente Agathaumas sylvestris




No ano de 1949, Sternberg sugeriu que o Triceratops seria mais próximo de Chasmosaurus e devia ser inserido como um Ceratopsine em Chasmosaurinae, oprém sua sugestão ignorada.


Mais tarde, John Ostrom e David Norman, inseriam o animal em Centrosauridae. Novos estudos de Sternberg e Lehman definiram definitivamente as diuas famílias houve alteraçãodo Triceratops para Ceratopsinae, uma subfamília à qual foi provado que pertence, inclusive com novos estudos morfológicos elaborados por Peter Dodson em 1990.


O Triceratops começou a ser famoso após participar da trilogia de Jurassic Park e vários outros filmes.


Em algumas fotos você pode ver o tamanho do Triceratops e um homem junto mas nas outras não preciso falar.




Informações do dinossauro


Nome: Triceratops.


Nome cientifico: Triceratops horridus, Triceratops prorsus, Triceratops brevicornus, Triceratops elatus, Triceratops serratus, Triceratops flabellatus, Triceratops obtusus, Triceratops hatcheri, Triceratops sulcatus, Triceratops albertensis, Triceratops eurycephalus, Triceratops maximus, Triceratops ingens, Triceratops galeus e Triceratops calicornis.


Tamanho: De 9 à 10 metros de comprimento e 3 metros de altura.


Peso: Cerca de 6 toneladas.


Local: América do Norte.


Época: No fim do período Cretáceo.


Alimentação: Herbívora.


Fampilia: Ceratopsidae.




























































Fonte: Blog do Ikesaurus. Visite o blog dele: http://ikessauro.blogspot.com/




Nenhum comentário:

Postar um comentário